Pular para o conteúdo principal

O Lembrete

Por Frank Roger
Traduzido por Mauricio R B Campos

Um bloco de notas e caneta sob fundo azul
Jeffrey tomou um golinho do seu chá, pôs o copo abaixo e fitou fixamente à sua frente. Ele teve a sensação de que sua mente foi atacada por um lapso de memória. O que poderia ter sido? Espere um segundo, ele pensou. Não teria ele preparado algo para situações como esta? Uma ideia subitamente lhe ocorreu. Seus bolsos! E se ele procurasse em seus bolsos? Ele começou pelas calças, depois passou para a camisa e finalmente em seu casaco. Obviamente, estava lá. Uma nota, com alguns rabiscos. Deveria ser algo importante, ou ele não teria escrito.
E agora, onde estariam seus óculos? Ele não conseguia se lembrar aonde os colocou. Ele procurou em seus bolsos novamente, mas não encontrou nada. Nas gavetas de sua escrivaninha, talvez. Na mesa da cozinha?
Demorou um pouco para localizar seus óculos (eles estavam no banheiro, e quando ele voltou a sentar em sua cadeira, se perguntou por que os trouxe. Jeffrey não estava lendo o jornal, estava? Então pra quê ele precisaria de seus óculos? Deixou-os de lado, procurou seu chá e então viu a anotação próxima de seu copo. Poderia ser para isso? Ele apanhou seus óculos novamente, os colocou e leu a nota.
Estava escrito à mão. “Fique atento que sua memória não está como costumava ser. Faça notas de coisas importantes, e se lembre onde você as colocou. Isso irá ajudar você a organizar seus dias. Sempre carregue sua caneta e seu bloco de notas. Eles serão muito úteis agora que você está só. Não deixe sua memória falha o abalar.”
Ele acenou com a cabeça, mostrando compreensão, e colocou a nota novamente em seu bolso. Era verdade que ele estava sofrendo de problemas de memória, e agora que ele estava só, depois do falecimento da pobre Margareth, ele teria que organizar os seus dias o melhor que pudesse. Ele deveria tentar contender com sua memória falha, não sucumbindo. Fazer essa anotação foi uma excelente ideia.
Agora quem teria dado essa ideia novamente? Ele pensou por alguns momentos, então terminou seu chá e recostou na cadeira.
A vida não foi assim tão ruim, mesmo quando ele se sentiu terrivelmente solitário sem sua mulher. Eles foram casados por... quantos anos? Ele franziu as sobrancelhas enquanto tentava se lembrar quando ela teria falecido. Não foi há tanto tempo assim, ou teria sido? Ele ainda podia se lembrar de sua face, mas não conseguia lembrar o nome dela neste momento. Ele meneou a cabeça. Como seria possível ele ter esquecido o nome de sua esposa recentemente falecida? Obviamente sua memória o estava traindo.
Espere um segundo, ele pensou. Não teria ele encontrado uma forma de lidar com o problema? Uma ideia subitamente lhe ocorreu, seus bolsos! E se procurasse em seus bolsos? Ele procurou e encontrou um bloco de notas e uma caneta. Agora qual a finalidade disto? Ele não costumava escrever notas, costumava? De qualquer forma, para quem ele iria escrever as tais notas?
Ele colocou a caneta e o bloco de notas próximo ao seu copo, e tentou concentrar-se no problema que o afligia. Mas, qual problema era este mesmo? Eu falho em lembrar, ele pensou.

Eu acho que minha memória não está como costumava ser. Bem, ele concluiu resignado, não há muito que eu possa fazer, eu posso...

Frank Roger

Foto do autor Frank Roger
Frank Roger nasceu em 1957 na cidade de Ghent, Bélgica.
Sua primeira história apareceu em 1975. Desde então suas histórias apareceram em um crescente número de idiomas em todos os tipos de revistas, antologias e outros meios, e desde 2000, coleções de histórias foram publicadas, também em vários idiomas. Além de ficção, ele também produz colagens e trabalhos gráficos numa tradição surrealista e satírica.
Até agora ele tem mais de 700 contos publicados (incluindo uns poucos pequenos romances) em mais de trinta idiomas. Mais informações podem ser encontradas no site do escritor.
Página do escritor:
http://www.frankroger.be/.
 
 



Recomendados


Personagens cósmicos de Jack Kirby, com destaque para o Forrageador - ilustração de Samuel Bono
Os Mundos de Jack Kirby

O Rei Amarelo em Quadrinhos
O Rei Amarelo em Quadrinhos

As Crônicas de Sudalbion
As Crônicas de Sudalbion




            Publicidade

Scortecci Quadrinhos


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - Sonhos Lúcidos

O livro Sonhos Lúcidos foi lançado no dia 19 de outubro de 2013, durante o Evento Livros em Pauta , na Universidade Estácio, campus Jabaquara. A antologia de contos fantásticos da Andross Editora contou com a participação de Chico Anes , autor de O Sonho de Eva lançado pela editora Novo Conceito , e As Duas Vidas e Meia de Demian Liber (independente), Laura Elizia Haubert , autora de Calisto , Sohuen editados pela Novo Século ,   Ode a Nossas Vidas Infames , pela Multifoco, Sempre o Mesmo Céu, Sempre o Mesmo Azul , pela Editora Patuá; Suzy M. Hekamiah , autora de Código dos Mares : Os Contos do Tempo , pela Editora Literata , e O Pianista , Espectra ; além de dezenas de outros autores. A antologia tem basicamente o intuito de divulgação de novos autores. Nesse escopo, há 13 autores que estreiam nas páginas desta coletânea da Andross Editora : Alice Rodrigues, Ana F. Cruchello, Antonio Martins Júnior, Carlos Moffatt , autor de Operação Black Hole e Cobaias de Lázaro ,

III Livros em Pauta

Dia 19 de outubro de 2013 foi o lançamento da antologia "Sonhos Lúcidos", durante a programação do 3º Livros em Pauta. A terceira edição do evento foi no campus Jabaquara da Estácio Uni-Radial . A antologia de contos fantásticos da Andross Editora contou com a participação de Chico Anes, autor de O Sonho de Eva , Suzy M Hekamiah , autora de Código dos Mares: Os Contos do Tempo , além de dezenas de outros autores. Durante o evento ocorreram palestras sobre direitos autorais, crítica literária, marketing do livro, agenciamento literário, crowdfunding , divulgação, lançamentos... Estas e outras etapas da produção editorial foram apresentadas e debatidas na terceira edição do Livros em Pauta – Encontro de Leitores com Escritores e Outros Profissionais do Livro. Fotos do Evento Participei da Antologia com o conto O Cavaleiro Cinza , um conto apocalíptico que reúne em um mesmo texto diversas teorias da conspiração com um viés original que irá surpreendê-lo. Abaixo seg

Dia da Língua Galega 2014

Cada 17 de Maio celebra-se o Dia das Letras Galegas dedicado a um escritor galego (escolhido pela Real Academia Galega ). Este dia é usado pelos organismos oficiais para potenciarem o uso e o conhecimento da língua galega. O homenageado deste ano é o poeta Xosé María Díaz Castro . Este verão decorrerá no Brasil a Taça do Mundo de futebol, o qual colocará o país lusófono americano na centralidade informativa. Por esta razom, a AGAL lança a campanha O Mundial Fala Galego , umha oportunidade de difundir a mensagem reintegracionista batendo o ponto nas oportunidades para a Galiza e na vantagem competitiva que representa partilhar língua com o Brasil. Precisamente, a atividade central da AGAL para o próximo 17 de Maio, Dia das Letras, consistirá num jogo de futebol no campo de Belvis, em Compostela, o qual decorrerá a partir das 17 h. Na seqüência desta açom serám gravadas imagens e vídeos para acompanhar a campanha O Mundial Fala Galego. Por este motivo, recomenda-se às