Pular para o conteúdo principal

478

478 é um conto vencedor. Ganhador do V Concurso de Contos Livrarias Curitiba, foi publicado na edição 57 da revista Ler & Cia (julho/agosto). Foi muito legal vê-lo nas páginas da revista, inclusive a personagem Arturo de Oliveira retratada pelo ilustrador Tiago Silva.

Um escritor lendo um livro e tomando café, ele coça a cabeça.

Arturo de Oliveira, escritor de uma série de livros policiais de sucesso, ligou para seu editor Walter Mariot, para saber o que ele achou do manuscrito de seu quarto livro:
W: Alô?
A: Oi, é o Arturo, tudo bem?
W: Tudo bem. Quando você vai me mandar o resto do manuscrito?
A: Não tem resto do manuscrito, acaba ali mesmo, na página 478.
W: Mas e o final da história? Você não acha que o leitor vai querer saber o que acontece com o investigador Orlando? E o seu arqui-inimigo? Alguém tem que parar com as atrocidades do vilão, ou não é isso?
A: Stephen King sempre quis escrever um livro sem final, mas se ele não pode escrever, eu posso...
W: Só se for com outro editor, meu amigo — interrompeu Walter, o tom de voz se elevando. Ah, vamos lá, não é a sério, pare com a avacalhação, por favor — continuou, num tom conciliatório, como quem sabe que é vítima de um chiste.
A: Esse quarto livro será um presente a meus leitores, chega de jornada do herói.
W: Jornada do herói vende.
A: Mas esse truque velho já está por demais manjado, caríssimo. Veja, o primeiro volume, Orlando e o mistério de Tlön, o investigador é conduzido à aventura em uma típica jornada do herói. No segundo volume, Orlando e os luminares da eternidade, levei à exaustão o método do Actor’s Studio de Nova Iorque, dois narradores, duas verdades, um leitor preso até o último parágrafo da última página para saber qual versão é verdadeira. O terceiro volume, Orlando na ilhota de Trindade, coloquei em ação o enigma clássico do assassinato no quarto fechado, um assassinato, vários suspeitos, todos presos numa ilha. E agora no quarto volume levo o leitor a um novo patamar, uma história que caminha para um clímax arrebatador e acaba abruptamente, sem rodeios e sem explicações: como um atleta que resolve parar no auge de sua carreira. É isso que falta nos romances policiais: ousadia, vigor vanguardista!
W: Olha, Arturo, nós temos um contrato, e iremos respeitá-lo, se você quer que seja assim... Vou encaminhar para a revisão.
A: Não se preocupe, vai ser a grande revolução da moderna literatura brasileira!
W: Ok.
***
Arturo e Walter só voltaram a se encontrar três meses depois, no lançamento do livro, em uma das lojas da Livrarias Curitiba. O autor pegou seu romance pela primeira vez, embevecido pela capa esmeradamente trabalhada. Achou o volume grosso como um Bolaño, seus números da sorte, 478. Abriu na última página para rever seus números amigos: 657. 657? Olhou para seu editor. Manteve o olhar. Fuzilou-o com o olhar. Walter pigarreou, e cochichou no ouvido de Arturo que um ghost writer terminou o serviço. O autor pegou o volume e procurou uma poltrona confortável, pediu um café para a mocinha e abriu o livro na página 478.
— O quê é isso, homem, vai ler agora? Logo os convidados vão chegar!
Ele pegou a xícara de café, adoçou, mexeu e tomou um gole de café:
— Peça pro seu ghost writer vir autografar, pois eu estou curioso para saber o final da história, afinal Orlando vai ou não vencer seu arqui-inimigo?

Gostou desse conto? Mais como esses na coletânea Mosaicos Urbanos:


Mosaicos Urbanos está disponível na Livraria Cultura





        Publicidade
TRISTESSA - Banner


Recomendados




Os contos falam de descobertas, investigações policiais, encontros e desencontros amorosos e descoberta e aceitação da identidade
Mosaicos Urbanos - Contos


Capa do livro O Silêncio das Palavras - Mulher tapando a boca, mosaico colorido filtrando a capa
O Silêncio das Palavras - Antologia Especial da Scortecci
 
 



Banner Incompatível

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha - Sonhos Lúcidos

O livro Sonhos Lúcidos foi lançado no dia 19 de outubro de 2013, durante o Evento Livros em Pauta , na Universidade Estácio, campus Jabaquara. A antologia de contos fantásticos da Andross Editora contou com a participação de Chico Anes , autor de O Sonho de Eva lançado pela editora Novo Conceito , e As Duas Vidas e Meia de Demian Liber (independente), Laura Elizia Haubert , autora de Calisto , Sohuen editados pela Novo Século ,   Ode a Nossas Vidas Infames , pela Multifoco, Sempre o Mesmo Céu, Sempre o Mesmo Azul , pela Editora Patuá; Suzy M. Hekamiah , autora de Código dos Mares : Os Contos do Tempo , pela Editora Literata , e O Pianista , Espectra ; além de dezenas de outros autores. A antologia tem basicamente o intuito de divulgação de novos autores. Nesse escopo, há 13 autores que estreiam nas páginas desta coletânea da Andross Editora : Alice Rodrigues, Ana F. Cruchello, Antonio Martins Júnior, Carlos Moffatt , autor de Operação Black Hole e Cobaias de Lázaro ,

III Livros em Pauta

Dia 19 de outubro de 2013 foi o lançamento da antologia "Sonhos Lúcidos", durante a programação do 3º Livros em Pauta. A terceira edição do evento foi no campus Jabaquara da Estácio Uni-Radial . A antologia de contos fantásticos da Andross Editora contou com a participação de Chico Anes, autor de O Sonho de Eva , Suzy M Hekamiah , autora de Código dos Mares: Os Contos do Tempo , além de dezenas de outros autores. Durante o evento ocorreram palestras sobre direitos autorais, crítica literária, marketing do livro, agenciamento literário, crowdfunding , divulgação, lançamentos... Estas e outras etapas da produção editorial foram apresentadas e debatidas na terceira edição do Livros em Pauta – Encontro de Leitores com Escritores e Outros Profissionais do Livro. Fotos do Evento Participei da Antologia com o conto O Cavaleiro Cinza , um conto apocalíptico que reúne em um mesmo texto diversas teorias da conspiração com um viés original que irá surpreendê-lo. Abaixo seg

Dia da Língua Galega 2014

Cada 17 de Maio celebra-se o Dia das Letras Galegas dedicado a um escritor galego (escolhido pela Real Academia Galega ). Este dia é usado pelos organismos oficiais para potenciarem o uso e o conhecimento da língua galega. O homenageado deste ano é o poeta Xosé María Díaz Castro . Este verão decorrerá no Brasil a Taça do Mundo de futebol, o qual colocará o país lusófono americano na centralidade informativa. Por esta razom, a AGAL lança a campanha O Mundial Fala Galego , umha oportunidade de difundir a mensagem reintegracionista batendo o ponto nas oportunidades para a Galiza e na vantagem competitiva que representa partilhar língua com o Brasil. Precisamente, a atividade central da AGAL para o próximo 17 de Maio, Dia das Letras, consistirá num jogo de futebol no campo de Belvis, em Compostela, o qual decorrerá a partir das 17 h. Na seqüência desta açom serám gravadas imagens e vídeos para acompanhar a campanha O Mundial Fala Galego. Por este motivo, recomenda-se às