A Última Gota

Um rinoceronte na savana


O chapéu comprido de lã do velho foi a primeira coisa a surgir atrás da duna no deserto de Basamortu. Mas ninguém estava vendo o velho chegar montado no grande rinoceronte africano geneticamente domesticado.  Eles foram até a entrada da grande tenda onde o mercador dormia o sono dos justos, cansado que estava da visita de ninguém. O velho soldado desmontou com dificuldade do grande animal e se dirigiu para a tenda onde buscava água e mantimentos, mas principalmente água. Como não viu ninguém, pegou um odre e virou-o na garganta. Fazia três dias que não bebia nada. A água lhe refrescou, e vendo um banquinho de madeira, o velho se sentou. Olhou em volta e quis chamar alguém, mas a voz lhe faltou. Uma rouquidão se esfregou em sua garganta e ele quis tossir, mas não conseguiu. Tentou aspirar o ar, mas não conseguiu. Sentiu uma trava na garganta, como se alguém lhe apertasse o pescoço com mãos de ferro invisíveis. Tombou no chão quente da tenda e se debateu por algum tempo até expirar.
 
Recomendados




Os contos falam de descobertas, investigações policiais, encontros e desencontros amorosos e descoberta e aceitação da identidade
Mosaicos Urbanos - Contos


Capa do livro O Silêncio das Palavras - Mulher tapando a boca, mosaico colorido filtrando a capa
O Silêncio das Palavras - Antologia Especial da Scortecci
 
 



Banner Incompatível

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sonhos Lúcidos e Liquefeitos

Política de Privacidade

Vampiro de Sengir