domingo, 9 de outubro de 2016

Eu Me Ofereço!



Eu me ofereço! - Um tributo a Stephen King - A editora Illuminare, através de seu selo Antologias Brasileiras, organizado por Rô Mierling, lançará em 11 de abril de 2015 a antologia Eu me ofereço! na qual participo com o conto de terror realista A Cadeira. Os livros dessa antologia serão ainda depositados na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, Biblioteca Municipal de Cintra (Portugal), Biblioteca Nazionale Centrale di Roma (Itália) e Biblioteca Nacional Mariano Moreno em Buenos Aires (Argentina). Os autores aprovados nessa antologia são Alexandre Braoios (co-autor em Sombras e Desejos), Amanda Bistafa, Bruno Nascimento, Dank Dan, Diego Santinari, Eduardo Lima, Elton SDL, Fabrício Rufino, Felipe Vellinho, Israel de Sá, Jhefferson Passos, Lana Gomes (co-autora em Sombras e Desejos), Leonardo Cruz (co-autor da antologia Sombras e Desejos), Luiz Fiuza, Mari Santos, Mauricio R B Campos, Mikael Guedes, Nuccia de Cicco (co-autora em Sombras e Desejos), Pedro Oliveira Barbosa, Rafael Valore (co-autor em Sombras e Desejos), Raquel Cavasini, S. S. Days, Susana Lorena, Tadeus Nicodemus e William Wagner Westphal (co-autor em Sonhos Lúcidos).

O livro foi lançado durante a Feira do Livro de Londres 2015, no estande da ZL Editora.








Vários autores brasileiros numa compilação de contos que prestam um tributo a Stephen King, o mestre do horror. São 27 contos de terror que instigam sua imaginação e fazem você verificar duas vezes se a porta está trancada.




Eu me ofereço! é um dos melhores livros de contos que já li. Os autores, todos brasileiros, captaram bem o espírito da coisa e cada um, a sua maneira, incorporou um pouco do estilo do mestre Stephen King.  Encontramos referências de Christine, o carro assassino em A Cadeira, de Maurício R.B. Campos, A Porta, de Rô Mierling, Chocalho, de Israel de Sá  e Trem Fantasma,de Rafael Valore onde esses objetos ganham vida e aterrorizam os desafortunados que cruzaram seus caminhos.
A Mancha na Parede, de Elton SDL e  O Homem de Branco, de Nelson Vellinho nos envolvem de uma maneira que quase chega  a sufocar. Encontramos zumbis em Na Beira da Loucura, de Leonardo Cruz. Em O outro lado, dede Raquel Cavasini, uma estudante insistia em descer no andar errado. Em Fronteira, Susana Lorena declara que loucura é estar entre dois mundos e saber da existência dos dois. E o protagonista de seu conto cruza a fronteira, num caminho sem volta.
E por aí vai, entre encapuzados em ruas escuras em Sombras Noturnas,de Pedro Oliveria Barbosa, passando por gêmeas sombrias em A Marca, de Alexandre Braoios,adolescentes em busca de diversão em O lag Tordossom, de Akateron Sioclótus. Uma criança viaja sozinha em Trem Fantasma, de Rafael Valore; Há um pouquinho de Carrie, a estranha  em Agnes, a menina do conto Ela, de Lana Gomes.
Mas o melhor vem no final. Desígnios de uma mente perturbada é um dos melhores contos do gênero que já li. Quando eu preparava essa resenha, fiz uma marcação ao lado de cada conto: bom, ok, regular,surpreendente, coisas do tipo. Nesse, eu marquei foda.Muito, muito bom! T.J. Nicodemos conseguiu criar um conto excelente, com uma narrativa que prende e um final espetacular. Judy, outro conto do mesmo autor é também tão bom quanto. A referência dos Beatles, o apelo sexual e o desfecho também cumprem com louvor o tributo ao mestre do terror.
Finalizando: De volta a Gatlin, de William Westphal, é o que melhor incorpora o espírito de Stephen King.  Essa volta a Colheita Maldita foi uma sacada muito bacana.
Eu me ofereço! É uma prova de que os autores nacionais são tão bons quanto os estrangeiros. Aliás, o talento não é exclusividade de um ou outro lugar do planeta. Pena que a maioria das editoras nacionais não vejam dessa maneira. Parabéns a Illuminare pela iniciativa, que resultou num antologia tenebrosamente espetacular.
Resenha de L. A. Tecau


Extraído de Arca Literária

Nenhum comentário:

Postar um comentário